Go to the content
or

Logo noosfero

Full screen
 RSS feed

Blog

April 15, 2011 0:00 , by Colivre.net - | No one following this article yet.

Peixotinho! Em fevereiro nascia um dos médiuns de efeitos físicos.

February 27, 2021 15:40, by Casa do Caminho - 0no comments yet

Peixotinho

Você sabe quem foi Peixotinho?

Francisco Peixoto Lins, mais conhecido como Peixotinho, nasceu no dia 1 de fevereiro de 1905, no Ceará e fora um médium de efeitos físicos, tendo realizado, através de seu dom, a mediunidade, inúmeras materializações de vários espíritos que intercediam em favor de enfermos, portadores de doenças de variadas origens e de cunho espiritual.

 ‘Aos 15 anos manifestaram-se nele os primeiros indícios de sua extraordinária mediunidade, sob a forma de terrível obsessão. Nesse período, sofreu uma paralisia que o prostrou num leito durante seis meses. Um dos seus vizinhos, membro de uma sociedade espírita de Fortaleza solicitou permissão à família para prestar-lhe socorro espiritual, com passes e preces.

A fim de distrair-se, Peixotinho começou a ler alguns romances espíritas e, posteriormente, as obras da Codificação Kardequiana. Em menos de um mês, apresentava sensível melhora em seu estado físico e foi libertando-se progressivamente da falsa enfermidade.

Ao melhorar a condição física, passou a frequentar o Centro Espírita onde militava o grande tribuno Vianna de Carvalho, que, na época, estava prestando serviço ao Exército Nacional, em Fortaleza. Orientado por ele, Peixotinho iniciou o seu desenvolvimento mediúnico.

Em 1926, foi convidado ao serviço militar e transferido para Macaé no Rio de Janeiro. Lá, em 1945 fundou o centro espírita GEAL (Grupo Espírita André Luiz), com outros confrades e passou a conviver com Américo Ranieri, procedente de Minas Gerais.

Muitas das reuniões mediúnicas de materialização realizadas por Peixotinho ocorreram em Minas Gerais, algumas delas na presença da família Soares e outras com a participação de Chico Xavier. 

Como a história de Peixotinho cruza-se com a família Soares?

Em 1946, em Belo Horizonte, iniciava-se a história do Grupo da Fraternidade Espírita Irmã Scheilla – que se encontra em atividade até hoje - quando reuniram-se Américo Ranieri e Jair Soares. Ranieri logo em seguida mudou-se para o Rio de Janeiro.

As atividades do chamado ‘Movimento da Fraternidade’ eram ainda incipientes, e em fevereiro de 1949, D. Elvira Soares, esposa de Jair, encontrava-se muito enferma com um câncer e informada pelos médicos de sua morte em breve. 

No dia 10/02/49, de madrugada, Jair Soares é chamado ao portão de sua residência. Chovia torrencialmente. Indo atender, defrontou-se com a presença de três visitantes. Um deles se identificou como Francisco Peixoto Lins (Peixotinho) que constrangido, escusou-se por estar ali em hora avançada, conseqüência do atraso do trem que lhes trouxera do Rio de Janeiro.

Eles vinham pedir hospedagem por indicação de Ranieri, que afirmava ser o lar da família Soares uma verdadeira ‘pensão da fraternidade’. Peixotinho esclareceu que, na manhã seguinte, partiriam para Pedro Leopoldo, para se entrevistar com Chico Xavier.

Dona Elvira, mais conhecida como Ló, encontrava-se já recolhida em seu aposento. Porém, no dia seguinte, Ló, os visitantes e o anfitrião conversaram, quando Peixotinho acompanhando com os olhos, os movimentos da senhora, fez singular meneio com a cabeça. E contou:

– Ah! Agora percebi o porquê da nossa presença em seu lar. Visitar Chico foi mero pretexto da Espiritualidade para que estivéssemos aqui. Vejo o nobre Espírito Scheilla, com o rosto próximo ao de sua companheira e dizendo-me que D. Ló precisa de tratamento.

O casal, sensibilizado, permitiu em seu lar, uma inesquecível reunião de ectoplasmia, com notáveis fenômenos de efeito físico. Ló curou-se e desencarnou somente 22 anos depois.

Após esse evento, Peixotinho participou de muitas reuniões de materialização com o objetivo socorrista. Foram muitas curas, fora dos holofotes. Ao contrário, eram realizadas numa pequena sala, muitas vezes em um anexo de sua residência. Essas reuniões de materializações se tornavam uma rotina, sempre aos sábados, guardadas no respeito e proteção de seus objetivos, o realinhamento espiritual de seus “pacientes” e a cura de enfermidades de natureza somática.

Tornou-se um dos mais famosos médiuns de materializações e efeitos físicos. Por seu intermédio produziram-se as famosas materializações luminosas e uma série dos mais peculiares fenômenos, tudo dentro da maior seriedade e nos moldes preceituados pela Doutrina Espírita.

Divaldo Pereira Franco narra, em uma de suas palestras, que Peixotinho sofrendo certa vez de úlcera gástrica, notava que todas as medicações prescritas para esse tratamento agravavam os sintomas da asma, de que também padecia. Como misericórdia, o plano espiritual, através de seu mentor, revelou-lhe que lhe seria dado uma "anistia temporária" de sua asma, para assim ele poder tratar a úlcera. Narra Divaldo que assim que o médico anunciou a cura da úlcera, ele respondeu já em crise: gra- hum ças- hum a Deus! (voltara a asma).

A mediunidade de efeitos físicos cumpriu o seu papel no mundo corpóreo. Chamou atenção para a existência da comunicação entre os dois planos da vida, como salienta Kardec em “O Livro dos Médiuns”, e contribuiu para a convicção de muitos. Entretanto, ainda ressaltado no Livro dos Médiuns (cap. XIV, item 160), esses fenômenos tendem a diminuir dando lugar a formas mais perfeitas de comunicação.

Por fim, é fundamental compreender que a mediunidade é uma faculdade inerente ao homem, nada tem de sobrenatural e, que se revela em cada ser, de maneira própria, não se apresentando a todos do mesmo modo. E, o intercâmbio mediúnico tem como objetivo principal contribuir com o progresso dos seres nos diversos planos da vida.

 

Quer saber mais sobre Peixotinho, mediunidade e suas materializações?

Hoje, 27 de fevereiro, sábado, às 16 horas, nosso amigo Paulo de Tarso irá falar sobre: “Os desafios da mediunidade: Peixotinho, a prova”, no canal da Casa do Caminho. Não perca! Esperamos todos para ouvirmos grandes histórias juntos!

Clique no link e acesse a palestra: https://youtu.be/CSLGUlnnrwg

 

Referências:

 

“Enganar-se-ia igualmente quem supusesse encontrar nesta obra uma receita universal e infalível para formar médiuns. Se bem cada um traga em si o gérmen das qualidades necessárias para se tornar médium, tais qualidades existem em graus muito diferentes e o seu desenvolvimento depende de causas que a ninguém é dado conseguir se verifiquem à vontade.

As regras da poesia, da pintura e da música não fazem que se tornem poetas, pintores ou músicos os que não têm o gênio de alguma dessas artes. Elas apenas guiam os que as cultivam, no emprego de suas faculdades naturais.

(O Livro dos Médiuns, Allan Kardec)

 



Ciclo 2017 do GESCOOP encerra com balanço positivo

March 2, 2018 13:35, by Portal Bahia Cooperativo - 2525 comments

gescoop-salvador-3

2 turmas. 60 participantes. 10 módulos. 160 horas de carga horária. Esses números são significativos para o cooperativismo baiano, pois representam que novos dirigentes, gestores e lideranças cooperativistas estão capacitados para contribuir com o desenvolvimento da gestão das cooperativas baianas. E isso foi possível porque eles participaram do Ciclo 2017 do Programa de Formação de Dirigentes e Gerentes de Cooperativas – GESCOOP.

Esta edição do GESCOOP foi encerrada na semana passada, em Salvador e Ilhéus, e contou com a participação da diretoria do Sistema OCEB para certificar os participantes que, durante a realização dos módulos que compõem o curso, ampliaram seus conhecimentos nas áreas de gestão cooperativa, recursos humanos, finanças, negócios, planejamento, governança e educação cooperativista, além de fortalecerem as suas redes de contatos e trocarem experiências.

Essa troca foi possível, segundo Tassiane Cardoso, funcionária da Área de Qualidade da Uniodonto Ilhéus e aluna da turma de Ilhéus, porque a capacitação promoveu atividades e dinâmicas que favoreceram a intercooperação e o diálogo. “Um aprendia com o outro ao relatar ações que deram certo nas suas cooperativas”.

Um diferencial dessa nova versão do GESCOOP foi a vinculação das disciplinas do curso ao Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas – PDGC. Essa decisão reflete o trabalho contínuo do Sescoop/BA e da OCEB de incentivar e preparar as cooperativas baianas para a participação no PDGC. Alberlan Almeida, vice-diretor da Coperil e participante da turma de Salvador, concordou que esse foi um diferencial e reforçou: “o nosso grande desafio a partir de agora é disseminar e socializar os conhecimentos adquiridos durante o Gescoop com foco no PDGC nas nossas Cooperativas”. Ele também resumiu o potencial do curso como capaz de “transformar as nossas ações e a nossa visão enquanto cooperados”.

Formar e capacitar quadros gerenciais e lideranças das cooperativas baianas para que tenham uma visão holística, criativa e possam gerir de forma competente as cooperativas em que estão inseridos são os resultados que extrapolam os números e contribuem para o cooperativismo ser mais competitivo e capaz de promover a felicidade dos cooperados, além de atender ao objetivo estratégico de promover a profissionalização da gestão cooperativista.

Por ASCOM Sescoop/BA



Sicoob BA alcança marca de R$ 1 bilhão de ativos

February 27, 2018 17:23, by Portal Bahia Cooperativo - 22 comments

logo-sicoob-posicionamento-ap02-cmyk-pos2

Apesar de 2017 ter sido um ano turbulento para a economia nacional, as Cooperativas de Crédito da Bahia, vinculadas à Central Sicoob BA, tem motivos de sobra para comemorar. O Sicoob Central BA é constituído por 14 cooperativas de crédito da Bahia, possuem mais de 139 mil cooperados e 79 pontos de atendimento, distribuídos em 65 municípios da Bahia, além dos outros estados, e encerrou o ano passado com a marca inédita de R$ 1 bilhão de ativos.

"Os nossos serviços vêm crescendo cerca de 30% ao ano. Isso vem fazendo com que possamos aumentar o volume de negócios nas cooperativas e repercutindo esse marco tão expressivo no cooperativismo", comenta o Diretor Administrativo do Sicoob Central BA, Alexsandro do Carmo Silva. Os ativos são os bens e direitos com valor comercial da cooperativa, como os empréstimos, imóveis e investimentos.

Para Josemir Soares, Diretor Operacional do Sicoob Central BA, “o alcance de 1 bilhão de ativos é um marco para o cooperativismo na Bahia, principalmente para os 65 municípios onde o Sicoob está inserido. Este resultado, contribui, de forma significativa, para o desenvolvimento das comunidades, em função do efeito multiplicador proporcionado pelas sobras às economias locais, à medida que são distribuídas aos seus associados”.  

A meta, que foi alcançada no mês de dezembro, é fruto do planejamento estratégico desenvolvido pela cooperativa há mais de sete anos, e que objetiva a ampliação da área comercial e a contínua capacitação dos seus colaboradores para oferecer produtos e serviços cada vez mais competitivos aos seus associados. O presidente do Conselho de Administração do Sicoob Central Bahia, Ivo Azevedo de Brito, acredita que o aumento expressivo de ativos se deve ao fato do reconhecimento da força do cooperativismo pela sociedade. “Esse marco representa uma posição de extrema importância para o cooperativismo baiano, pois nos possibilita uma condição maior de acesso ao mercado”, comenta Brito.
 
Sobre planos futuros, o presidente explica que o Sistema pretende impulsionar a área de vendas visando a obtenção de novos negócios e realizar neste ano, a abertura de novas agências do Sicoob para que se atinja o maior número de municípios na Bahia. No Brasil, o Sicoob é o maior sistema financeiro cooperativo com mais de 4 milhões de cooperados. É composto por cooperativas financeiras e empresas de apoio, que em conjunto oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outros. 

De acordo com o presidente do Sistema OCEB, Cergio Tecchio, o resultado obtido pelo Sicoob BA é extremamente significativo, pois demonstra o pleno desenvolvimento do Sistema de Cooperativas de Crédito na Bahia, evidencia a vontade dos seus sócios e a credibilidade do Sistema em prospectar oportunidades de negócios na sociedade baiana. 

Por Ascom OCEB (Com informações do Sicoob Central BA).



Ciclo 2018 do PDGC já está disponível

February 20, 2018 13:33, by Portal Bahia Cooperativo - 22 comments

marca-pdgc

Se tem uma coisa que garante vida longa e saudável a uma cooperativa é uma gestão atualizada, eficiente e atenta às mais modernas práticas de seu segmento. É por isso que promover a adoção de boas práticas de gestão e de governança é tão essencial para o negócio. Pensando assim, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) disponibiliza às cooperativas um programa de desenvolvimento da gestão, feito sob medida.

Trata-se do PDGC, cuja metodologia é pautada no Modelo de Excelência da Gestão® (MEG), desenvolvido pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), para ser um referencial na promoção da melhoria da qualidade da gestão e do aumento da competitividade das organizações.

E, para melhorar continuamente a gestão das cooperativas, o PDGC é aplicado em ciclos anuais. Isso amplia o alcance das ações ligadas ao planejamento, à execução, ao controle e ao aprendizado dos anos anteriores. Para o ciclo 2018, a unidade nacional do Sescoop já disponibilizou todo o material necessário e que poderá contribuir muito com a rotina de tomada de decisão e implantação de melhorias pelas cooperativas. Basta clicar aqui para acessar.

BAHIA
O estado da Bahia, onde o movimento cooperativista é representado pelo Sistema OCEB, fará o lançamento do sexto ciclo do Programa no dia 06 de abril. 

SAIBA MAIS
Quer conhecer mais sobre PDGC? Clique aqui. Neste link é possível encontrar informações como o que é programa, seus objetivos, instrumento de avaliação, metodologia e índices que podem indicar o grau de maturidade da gestão das cooperativas. Há ainda um vídeo explicativo e uma lista de benefícios para as organizações que aderirem ao PDGC.

EXCELÊNCIA DA GESTÃO
As cooperativas que aderem ao PDCG têm a oportunidade de participar do Prêmio Sescoop Excelência de Gestão, o reconhecimento nacional às organizações que promovem o aumento da qualidade e da competitividade do cooperativismo, por meio do desenvolvimento e da adoção de boas práticas de gestão e governança.

Promovido a cada dois anos, a iniciativa é dirigida às cooperativas singulares registradas e regulares com o Sistema OCB, participantes do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC). É uma excelente oportunidade para o aprimorar a gestão, ampliar a rede de relacionamentos e aumentar a visibilidade da cooperativa. (A próxima edição do Prêmio Sescoop ocorrerá em 2019). Saiba mais.

Fonte: Sistema OCB (com alterações)



Jornadas Pedagógicas qualificam quadro social de cooperativas educacionais baianas

February 15, 2018 18:44, by Portal Bahia Cooperativo - 66 comments

jornadas pedagogicas

Interessa ao Sistema OCEB contribuir para aprimorar os conhecimentos na educação cooperativista e motivar maior integração entre cooperados, professores e gestores que atuam em cooperativas educacionais baianas. Para isso, tem apoiado, durante anos, a realização de Jornadas Pedagógicas, que sempre acontecem no início do ano letivo e são demandadas por cooperativas educacionais.

Em 2018, as Cooperativas Educacionais de Sobradinho – COES, de Teixeira de Freitas - CETEF, de Xingó – COOPEX, de Eunápolis – COOEDUC, de Pé de Serra – COOPEPS, de Caetité – COOPEC, de Irecê – COPERIL, de Salinas – COOPESAL e de Barreiras - COOPEB realizaram as suas jornadas, nos meses de janeiro e fevereiro, com palestras voltadas para temas específicos, tais como: “Valores Humanos e Formação Cooperativista”, “Educadores que inspiram sonhos!”, “Auto Estima e Qualidade de vida”, “Gestão motivacional e liderança”, “Educação, Diversidade e Inovação: desafios profissionais”, “Práticas Pedagógicas Eficientes: Do pensar ao agir”, “O dom de motivar na arte de educar”, “As facilidades para os filhos em tempos difíceis para os pais” e “Neurociências: como ela ajuda a entender a aprendizagem”. Todas as palestras foram conduzidas por profissionais com experiência nas áreas educacional, comportamental e de gestão.

Os conteúdos das jornadas foram escolhidos pelas cooperativas, a partir das suas necessidades e objetivos traçados para o ano. Esse foi o exemplo da COOPEB, que reuniu pais/cooperados na sua Jornada Pedagógica, que refletiu sobre os papeis da família e da escola na criação dos estudantes. “Iniciamos o ano em um propósito específico de usarmos um tempo de nosso ano letivo para aprimoramos nosso relacionamento com os pais. Essa palestra foi fundamental para darmos início a esse propósito”, explicou Edlania Carvalho, diretora pedagógica da cooperativa.

Além de proporcionar reflexões voltadas para a formação profissional e melhoria da prática pedagógica, segundo Jhoni Cavalcanti, cooperado e integrante do Conselho Administrativo da COOPEX, a realização da jornada pedagógica também impacta na gestão escolar, pois acontecem os últimos ajustes pedagógicos e administrativos, onde, avaliando as práticas do ano anterior, a equipe consegue sempre “aparar as arestas” a fim de buscar um trabalho coeso e coerente com os objetivos da cooperativa.

O Sistema OCEB acredita que as Jornadas Pedagógicas desse ano foram tão boas quanto às dos anos anteriores e que professores, cooperados e gestores estão ainda mais conectados e motivados para oferecer educação cooperativista de qualidade. 

Por Ascom SESCOOP/BA

Fotos cedidas pelos instrutores e cooperativas